domingo, 1 de agosto de 2010

Vozes do silêncio




Há vozes na leveza dos ventos
Há vozes na euforia das abelhas
Ao sugar o néctar das flores
As águias quando alçam vôos ao azul do infinito
Em busca de renovação também ecoam aos céus
Um cântico de paz

Há vozes no silêncio...

Ouça o hino sagrado do bailar das ondas ao entardecer
Há uma cantiga serena...
É preciso estar pronto para ouvi-las
Ouça as madrugadas silenciosas
Onde alguns corações dormem juntos, porém separados
Nessas madrugadas os amores acordam, afloram, inflamam
E se unem em uma só doçura
Uma só poesia

Há vozes no silêncio...

Ouça o clamor da alma do poeta
ao dar a luz a um poema
Essas palavras vêm como lanças
Penetram a alma
Misturam no sangue
Possuem o poder de
Afagar
Consolar
Ou simplesmente amar

Há vozes no silêncio...

Arnalda Rabelo

2 comentários:

Crista disse...

Gostei muito da tua postagem!

**laura** disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.